13 out

Atente-se ao shampoo e diminua a queda de cabelo

Desde a antiguidade os cabelos são sinais de força, beleza e vaidade para homens e mulheres. Porém, o excesso de fios caídos diariamente transforma este desejo em preocupação.

A queda de cabelo pode estar ser de origem hormonal, deficiência alimentar, agressões químicas, estresse ou outras doenças. Somente uma visita ao profissional da saúde poderá ajudar a descobrir e agir sobre a causa.

Outro motivo que pode causar a queda de cabelo e geralmente passa despercebido por muitas pessoas é o uso de shampoos com componentes que agridam e prejudicam o couro cabeludo.

Segundo a coordenadora técnica e especialista em queda capilar Cláudia Souza, alguns shampoos causam o enfraquecimento do bulbo capilar. Isto resulta na obstrução dos folículos capilares, dificultando a fixação dos fios na raiz. “Portanto, para controlar a queda é necessário utilizar produtos que ativam a microcirculação do couro cabeludo fortalecendo o folículo piloso”, explica Cláudia.

A queda, além de falhas, também causa afinamento e raleamento dos cabelos. Quando a queda de cabelos não é de origem fisiológica, é possível tratar o couro cabeludo com shampoos específicos.

O couro cabeludo com queda é hipersensível e pode apresentar alergias a qualquer substância química, como o sulfato por exemplo. Por isto, nestes casos, o ideal é que os shampoos tenham uma formulação natural e sem sulfato.

“Utilizar shampoos suaves e com ingredientes naturais que ativam o bulbo capilar e recuperem a sua estrutura interna é fundamental para ter cabelos fortes e saudáveis” afirma Cláudia.

Outra dica é realizar diariamente uma massagem no couro cabeludo para aumentar a oxigenação, a circulação local, reduzir o stress capilar e estimular o crescimento de novos fios. Com a ponta dos dedos, pressione o couro cabeludo, sem muita força e faça movimentos delicados e circulares por toda cabeça, iniciando pela testa e indo em direção à nuca. A massagem pode ser feita diariamente durante o banho e leva apenas 5 minutos.